Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, setembro 26, 2008

Uma Amazônia pré-colombiana

26-Set-2008
Na Amazônia, é comum a ocorrência de áreas que apresentam solos alterados por populações pré-colombianas, também conhecidos como terra preta de índio (TPI). A maioria destas áreas estão localizadas em terra-firme, sendo escassos os relatos de sua ocorrência na várzea. Buscando contribuir para a literatura especializada no tema, pesquisadores do projeto Piatam (de avaliação da indústria do petróleo no Amazonas) realizaram trabalho de identificação, classificação e caracterização física, química e mineralógica em terrenos da comunidade de Lauro Sodré, no município de Coari (a 368 km de Manaus).
Os resultados obtidos com a pesquisa fazem parte do levantamento científico intitulado “Caracterização de perfil de solo com horizonte antrópico (Terra Preta de Índio) na várzea no rio Solimões – AM”, apresentado pelo mestre em Ciências Agrárias Rodrigo Macedo, este ano. Segundo o pesquisador, os terrenos de terra preta de índio tem se tornado alvo de discussões por diferentes profissionais do meio científico.
“É de suma importância pela agregação de novos conhecimentos resultantes da interação com outros profissionais que trabalham com o tema, independente de ser linhas de pesquisa específicas diferentes dentro desse macrotema. A oportunidade de realização de contatos e firmamento de parcerias com tais profissionais também fortalece o grupo”, disse ele.
As pesquisas foram realizadas ao longo de três excursões-padrão do Piatam, quando os integrantes da equipe de Solos identificaram as áreas de terra preta por meio de conversas com os ribeirinhos e com o auxílio do grupo de arqueologia, que já possuía algumas coordenadas dos locais. Depois da identificação, foram coletadas amostras para análise física, química e mineralógica – esta última ainda em andamento.
“Com a identificação desses locais, tentaremos contribuir com os estudos de ocupação das várzeas amazônicas pelos povos pré-colombianos e contribuir para chaves taxonômicas específicas de terra preta, podendo ainda sugerir mudanças no atual Sistema Brasileiro de Classificação de Solos, pois essas áreas ainda não são definidas com clareza, afirmou”.
Sobre o trabalho em conjunto com a arqueologia, Macedo lembra que as áreas de terra preta são um patrimônio arqueológico em razão dos inúmeros artefatos encontrados. Dessa forma, o estudo, além de colaborar para um maior entendimento a respeito de antigas civilizações que fizeram parte da ocupação da Amazônia, busca a conscientização no tocante ao manejo racional dessas áreas, evitando a perda significativa desse patrimônio deixado pelos povos antigos.
Os resultados dos testes de laboratório nos materiais colhidos revelaram teores elevados de fósforo. Esse dado reforça a hipótese do uso do solo por grupos pré-históricos uma vez que a substância é um dos principais elementos diagnósticos de ocorrência de TPI.
As análises verificaram o predomínio da partícula silte (com valores em média superiores a 500 g kg-1), reflexo da natureza incipiente desses solos. São solos novos formados a partir de sedimentos recentemente depositados e que se renovam anualmente com a deposição dos novos sedimentos a cada ciclo de cheia dos rios da região compreendida.
Essas informações levaram os pesquisadores à conclusão de que a várzea provavelmente foi capaz de sustentar os maiores assentamentos humanos da pré-história amazônica – conforme relatado pelos cronistas – graças à fertilidade do solo e à facilidade de acesso aos recursos da fauna aquática. A dificuldade de encontrar os vestígios desta ocupação é resultado do soterramento pela deposição anual dos sedimentos e pelo fenômeno de desbarrancamento, também conhecido como “terras caídas”.

José Lobo recua de disputa


José Lobo (de paletó) durante a cerimônia de filiação no Partido Comunista do Brasil, em junho do ano passado. Ele teve o nome envolvido na Operação Vorax

Aristide Furtado
Especial para A CRÍTICA
Depois de ficar sem o vice na chapa para Prefeitura de Coari, com a desistência do vereador Evandro Moraes (PTB), a Executiva Estadual do PCdoB decidiu abortar a candidatura do deputado José Lobo a prefeito de Coari. O partido decidiu também marchar ao lado de Arnaldo Mitouso (PMN) no bloco de oposição ao candidato de Adail Pinheiro, o vice-prefeito Rodrigo Alves (PP).

Ontem, a direção estadual da legenda se reuniu para tratar do assunto. Segundo o deputado estadual licenciado e secretário estadual de Produção, Eron Bezerra, a sigla pretende somar forças com o grupo de oposição a Adail Pinheiro. "O objetivo é fortalecer o pólo oposicionista que está melhor situado eleitoralmente. No caso, pelos dados das pesquisas, é o Mitouso. O partido lá em Coari já fez uma reunião e aprovou esse indicativo da regional", explicou Eron.

Segundo Eron, José Lobo, em conversa com o presidente estadual do PCdoB, Antônio Levino, já havia concordado com a retirada da candidatura. "O passo seguinte é esse indicativo ser discutido com o Lobo no diretório de Coari. Ele (Lobo) viajou para lá hoje (ontem) para tratar disso", disse Bezerra.

Na verdade, a campanha de Lobo nem chegou a decolar. O deputado foi um dos indiciados pela Polícia Federal na Operação Vorax, que investigou um esquema de fraudes em licitações na Prefeitura de Coari. Na véspera da campanha eleitoral, Lobo, que atuou como secretário municipal de obras, teve o nome estampado nos jornais como um dos ex-assessores de Adail Pinheiro envolvido nas irregularidades.

A candidatura do deputado estadual enfraqueceu ainda mais com a debandada do seu candidato a vice, o vereador Evandro Moraes. O ex-companheiro de chapa migrou para a campanha do ex-vereador Arnaldo Mitouso, em uma articulação dos políticos que se opõem atualmente a Adail para fazer frente a Rodrigo Alves, o vice-prefeito que ficou mais de 40 dias preso no complexo penitenciário Antônio Trindade.

Para Eron Bezerra, Coari é uma cidade estratégica na estrutura geopolítica do Estado. "Defendemos a criação de um pólo de desenvolvimento em Coari. Lá temos um histórico de luta contra esse grupo de Adail Pinheiro. Todas as principais denuncias contra a administração de Adail foram protocoladas pelo PCdoB", ressaltou.

Com a iminente saída de Lobo, e a impugnação da candidatura de Ossias Jozino, a disputa pela prefeitura de Coari, que começou com cinco chapas, vai seguir apenas com três: Mitouso, Rodrigo Alves e Messias do Lojão

domingo, setembro 21, 2008

Microsoft Office Compatibility Pack for Office 2007

Microsoft Office Compatibility Pack for Office 2007

Este pacote permite você abrir documentos do Office 2007 que antes não poderia, a partir das versões mais antigas do seu Microsoft Office. Dessa forma, os usuários antes impossibilitados de visualizar e editar documentos do Word, PowerPoint ou Excel agora podem acessar os arquivos que precisarem, sem a necessidade de possuir o Microsoft Office 2007.

O pacote é um tanto pesado, mas em nada se compara ao tamanho de um pacote de aplicativos completo. Por isso, se você realmente precisa acessar um arquivo imcompatível com sua versão do Office, mas não tem planos de comprar sua licença em breve, esse programa é uma boa alternativa.

No site da Microsoft, recomenda-se que os usuários tenham feito as últimas atualizações prioritárias do seu Office 2000, 2002 ou 2003 antes de instalarem o pacote de compatibilidade em questão. O programa também suporta o acesso dos novos formatos em softwares de visualização, incluindo Microsoft Office Word Viewer 2003, Excel Viewer 2003, e PowerPoint Viewer 2003.

RapidShare

Easy-Share

MandaMais

4Shared

José Lôbo desmente desistência em Coari

18-Set-2008
Boatos e notícias publicadas na imprensa dão conta de que o deputado estadual teria desistido da corrida, mas ele nega.

O deputado estadual e candidato a prefeito de Coari pelo PCdoB, José Lobo, está enfrentando dificuldades para desmentir sua desistência da corrida sucessória em Coari. Isso porque, segundo sua assessoria ele está cercado por uma boataria que tomou conta da cidade, além de publicações em jornais do município e um blog na internet, divulgando que já não seria mais candidato.
Lôbo diz estar sendo vítima de uma tentativa de desestabilizar sua candidatura e desacreditar seu trabalho junto aos eleitores.
A assessoria do candidato informou que ele já se reuniu com o presidente estadual do PCdoB, Antonio Levino para traçar estratégias políticas para alavancar sua campanha nas últimas semanas do pleito. “Muitos eleitores ainda não se decidiram”, garante ele.