Archipo.Wilson. Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, janeiro 22, 2010

O que é Traffic Shaping?

A grande maioria dos usuários de internet não percebem isso ou não se preocupam, mas uma pequena parcela deles, aqueles que fazem downloads grandes via protocolos de transferência, já notaram que em determinados horários ou para determinadas funções a internet fica muito mais lenta. Há uma estimativa que cerca de 10% dos usuários de internet no Brasil são responsáveis por 80% do tráfego de dados nas redes do país. Ou seja, sobram mais ou menos 20% de banda para a grande maioria dos usuários.

Pensando nisso, as provedoras de acesso à internet – ISP, do inglês Internet Service Provider – começaram algumas formas de moldá-lo, limitando o tamanho da banda para os protocolos que usam mais a rede, que são basicamente os de transferência de arquivos grandes. Esses são os protocolos P2P, como do Emule ou do Ares Galaxy, ou os Torrent utilizados amplamente por muita gente. Alguns provedores limitam inclusive a transmissão de arquivos via FTP, outro tipo de protocolo, usado para fazer transferências entre servidores.



Por que os provedores fazem isso?

Para garantir o cumprimento dos contratos, provedores aplicam o Traffic Shaping.Quem utiliza rede compartilhada sabe que, quando várias pessoas estão conectadas ao mesmo tempo, a velocidade de sua conexão é reduzida, pois a capacidade da rede está dividida entre vários computadores. O mesmo acontece com o acesso à internet de uma forma geral. Ao conectarmos nossos computadores, isso é feito via rede oferecida pelo provedor de acesso. Se existe muita gente usando a rede ao mesmo tempo, a capacidade total dela fica reduzida.

As empresas provedoras precisam cumprir seus contratos com os clientes. Quando elas vendem planos de 3MB ou 10MB, seus clientes gostariam de ter essa velocidade ao abrir uma página ou ao abrir um vídeo em um site de streaming. Como dito antes, 90% dos contratantes destes serviços não utilizam protocolos de transferência de arquivos, portanto podem utilizar a velocidade quase completa de acesso sem prejudicar a quantidade de dados transmitidos.

Como os provedores fazem isso?

Existem alguns programas utilizados pelas empresas que modelam o acesso à internet. Os provedores podem, por exemplo, limitar o uso de alguns protocolos de transferência. Geralmente os clientes de Torrent ou P2P como o Emule utilizam determinadas portas de acesso. Ao limitar o acesso a essas portas, o provedor garante que poucos dados serão transmitidos. Este limite é feito ao se perder aleatoriamente alguns dos dados enviados, forçando uma economia do uso de banda.

Os provedores podem limitar o acesso a certos protocolos e redes.Outra forma é limitar isso a determinados horários, liberando a utilização mais pesada da rede após às 20 horas, por exemplo. Pode-se ainda limitar o uso em determinada região geográfica. Ao detectar o maior fluxo de dados, os provedores diminuem o acesso nesses locais ou horários.

Isso é feito porque ainda há pouco investimento em infraestrutura de banda larga no Brasil. Os provedores se questionam se vale a pena investir milhões para garantir que 10% de seus clientes consigam fazer downloads e uploads a qualquer hora, sendo que o serviço oferecido e os pacotes vendidos são suficientes para quase 90% dos usuários.

É claro que existem questões contratuais para obrigar os provedores a oferecer sempre o pacote de dados vendido. Porém, todos os contratos oferecem cláusulas dizendo que uma velocidade mínima de acesso é garantida, geralmente de 10% do valor contratado. Incrivelmente essa é a eficiência ao se fazer o Traffic Shaping. É claro que as provedoras negam a prática, mas os usuários conseguem provar isso, como é possível ver neste vídeo:

Dicas para driblar o Traffic Shaping:

Existem várias formas de se driblar as limitações impostas pelas empresas provedoras de internet. Algumas são mais complexas, pois exigem conhecimento de arquitetura de rede ou tecnologia de conexão. Aqui serão passadas algumas dicas mais simples, porém eficazes para garantir uma velocidade maior de download.

A primeira coisa que você deve fazer é testar sua conexão para saber se ela realmente está sofrendo com Traffic Shaping. Existe o projeto Glasnost que testa sua conexão atrás de limitações. Para fazer isso, basta visitar a página do serviço neste link e clicar no botão “Start Testing”.

Você pode encriptar sua rede para evitar ser localizado pelo provedor.O teste demora aproximadamente oito minutos e verifica se a provedora limita acesso ao protocolo BitTorrent. Caso comprove isso, você pode alterar algumas configurações de seus programas de transferência de arquivos. Algumas delas – e programas – podem funcionar com um provedor e não com o outro, então teste à vontade.

A primeira coisa que você pode fazer é usar encriptação no tráfego P2P de seus programas de Torrent. Desta forma fica quase impossível de as provedoras saberem que você está usando esses protocolos. Dependendo do programa existem formas diferentes para habilitar a função.

BitComet: primeiro, vá ao menu Option. Depois clique em Preferences, Advanced, Connection, e marque a opção Protocol encryption.

BitTorrent e uTorrent: Primeiro, vá ao painel Preferences e lá escolha a aba BitTorrent. Clique em Protocol encryption e marque a opção Enabled.

Vuze: primeiro, mude seu perfil do modo iniciante para o avançado. Em seguida, vá ao menu Tools, abra o Configuration Wizard e escolha a opção o Advanced. Depois retorne à função Tools e clique em Options, Connection e Transport Encryption. Clique em Require encrypted transport, vá ao menu Minimum encryption e escolha encriptação RC4.

Os provedores, porém, estão conhecendo essas técnicas e inclusive chegam a bloquear qualquer programa que pareça utilizar o protocolo Torrent. Se isso acontecer, você deve trocar de programa ou de provedor de acesso.

Não tenha esperanças que reclamar para seu provedor ou até mesmo para a ANATEL vá resolver algo, pois as empresas negam a prática e estão amparadas pelo contrato assinado com o cliente.

Ao mesmo tempo a ANATEL precisaria investigar as denúncias e isso levaria tempo. O melhor mesmo é encontrar um provedor ou um programa que permita a você fazer os downloads que quiser.

Via: Baixaki

domingo, janeiro 17, 2010

Não seja uma pessoa sem noção no Twitter

O Twitter não pára de crescer no Brasil. O número de usuários tupiniquins no site é cada vez maior. O que isso significa? A ferramenta online fica mais divertida, mais viva, mais animada, e, por outro lado, começam a aparecer as intrigas, a fofoca sobre a vida alheia e a falta de noção...

Se você quer que suas atualizações sejam lidas por muitas pessoas e pretende evitar que outras deixem de te seguir no Twitter?

Siga essas dicas:

1) Não seja uma pessoa "atualização sem parar". Dizer de 5 em 5 segundos o que você está fazendo é quase um monólogo. Ninguém aguenta uma pessoa que fala sem parar na mesa do almoço. Imagina abrir o seu Twitter e só ver a cara de uma pessoa falando, falando, falando... Mico, né?

2) Evite escatologias. Tudo bem, tudo bem... O Twitter pediu para você dizer o que você está fazendo, mas não é para levar o celular para o banheiro e dizer que está fazendo cocô, xixi ou tirando um pêlo encravado, certo? Se você vomitou o seu almoço ou passou por alguma situação constrangedora, por favor, evite compartilhar conosco!

3) Os reclamões chatos... Sabe aquelas atualizações em que a pessoa só reclama, reclama, reclama e lamenta, lamenta, lamenta? Você gostaria de um amigo assim ao seu lado? Temos certeza que não. Se sua atualização no Twitter é tipo um muro de lamentação, com certeza várias pessoas vão deixar de seguir você.

4) Não exija respostas imediatas. Se você usou a função @ para falar com alguém no Twitter e não teve resposta, não mande e-mails, MSN, recados no Orkut, cartas pelo correio ou mensagens privadas pedindo atenção ou resposta. Vai ver a pessoa não viu sua mensagem ou não pode responder na hora. Ou então te acha uma mala sem alça e não vai responder nem agora nem nunca!

5) Evite ser uma pessoa "bom dia", "boa noite", "boa tarde"... Atualizar um Twitter com esses tipos de saudação e esperar que alguém responda é um pouco mala. Dê o seu bom dia para o vizinho ou para uma pessoa de carne e osso que eles irão responder na mesma hora. Não é bem melhor?

6) E aqueles experts em algo? Sabe que eles existem em grande quantidade no Twitter, né? São pessoas que gostam de se exibir. Sejam eles designers, universitários, estudantes, jornalistas ou advogados, estão sempre falando coisas sérias, profundas ou dando link sobre as profissões deles que não interessam ninguém. O que acontece? Nojinho. As pessoas param de seguir. 

7) Bate papo entre duas pessoas? Hein? Isso acontece muito no Twitter. Você entra lá no site e tem três páginas de conversa entre dois usuários com várias respostas @cicrano para o @fulano, @cicrano respondendo de novo para o @fulano e por aí vai. Como assim? Não é melhor os dois procurarem um MSN? Ou um telefone?

8) Os enigmáticos, poetas e misteriosos... Não adianta escrever belas frases em inglês, alemão, francês, letras de música ou simplesmente dar links sem avisar o que é antes. Todo mundo vai achar que você é maluco, ninguém vai clicar, nem dar atenção. Esta pessoa continuará sozinha, sem atenção, com 5 seguidores e, provavelmente, irá perder 3 se continuar assim.